Archive for April, 2007

a rede virtual, a vida idem

Tuesday, April 17th, 2007

2007-04-16_233904-bw-tech-rep-virtual-worlds.png

o tech special report da business week de hoje é inteiro sobre second life. mundos virtuais são hype quase puro, hoje. mas isso não vai ficar assim. BW esquadrinha boa parte dos assuntos relacionados aos mundos virtuais, alguns dos quais já foram tratados aqui no blog. boa leitura [a BW é grátis].

monopólio, google e os descontentes

Monday, April 16th, 2007

bem que eu avisei [veja o post abaixo]. não ia demorar muito para as companhias ameaçadas pelo controle cada vez maior de google sobre anúncios on-line começarem a atacar o gigante pelo flanco regulatório. mal foi anunciada a compra da doubleclick, microsoft, yahoo, time warner, aol, at&t e outros, menos votados, estão reclamando [ainda informalmente, mas isso vai virar briga] do “domínio” de google e as suas “conseqüências” para privacidade. veja o new york times de hoje: Bradford L. Smith, Microsoft’s general counsel, said in an interview yesterday that Google’s purchase of DoubleClick would combine the two largest online advertising distributors and thus “substantially reduce competition in the advertising market on the Web.” para um resumo da cobertura, clique aqui.

mas este não é o único debate sobre o assunto. há cada vez mais especulação de que a microsoft não compraria doubleclick de jeito nenhum, pois redmond não compra público e sim tecnologia [isso pode estar errado, mas e daí?]. daí, ballmer entrou na corrida por doubleclick só para forçar google a pagar mais… será?

google 1 X yahoo 1. microsoft 0.

Saturday, April 14th, 2007

google comprou doubleclick, de dois fundos privados, por US$3.1B em dinheiro vivo, tirando a microsoft do jogo [parece que redmond queria pagar US$2.xB]. google pagou o dobro da conta de YouTube. a doubleclick faturou US$300M ano passado e havia sido comprada, em 2005, por US$1.1B. o alvo não era só redmond e mas também yahoo: google não tinha [até ontem] uma rede de servidores de banners [sim, banners], a prática do negócio e seus clientes.

agora tem. o que vai fazer com isso é outra história. pode haver conflito entre seus modelos de negócio para anúncios. google pode querer tirar as agências de publicidade do jogo de uma vez por todas, e pode haver confusão entre os acionistas… pois eric schmidt prometeu, em março, que iria usar os recursos da companhia de forma “responsável” [desde quando pagar 10x é responsável, neste caso?]. o fato é que agora google pode competir com yahoo na mesma plataforma de anúncios. e a microsoft fica ainda mais distante.

mas a corrida ainda não acabou. façam suas apostas… apostem também quando google vai ser processado, por monopólio, em alguma destas coisas, como anúncios na web, onde está eliminando toda a competição.

busca: mais uma fronteira e seus problemas

Friday, April 13th, 2007

um start-up chamado electric sheep company acaba de lançar um engenho de busca que descobre objetos em second life, monta um index e, quando perguntado, mostra uma lista de tudo o que encontrou para um determinado termo [de busca]. se fosse no mundo real, era como ter um big brother olhando a “vida pública” de tudo e todos e possibilitando descobertas hoje impensadas. como… onde ficou meu porta cartões de visita? [perdi o meu ontem, num evento]. veja aqui o resultado da busca por pink floyd. e note que só é possível ter acesso aos objetos apontados pela busca se você tiver second life instalado; afinal de contas, os objetos estão lá. até aí, tudo bem.

o que ninguém esperava é o tamanho do barraco que isso está criando. enquanto as pessoas aparentemente querem que seu mundo, na web [www, http://...], seja encontrado e indexado por buscadores, a electric sheep está sendo acusada de invasão de privacidade. o título do post de prokofy neva sobre o assunto é… The Electric Sheep’s HUGE BIG EVIL DATA SCRAPE. parece, pelo visto, que a projeção da identidade real nos mundos virtuais é cada vez mais séria e as pessoas estão se “dualizando”. de repente, a identidade será a composição da vida daqui com a de lá. será?…

fim de uma era: lá vêm os SSDs

Friday, April 13th, 2007

a samsung anunciou o primeiro e-drive de 1.8″ com capacidade de 64GB, fazendo os “discos estáticos” de muito pequeno porte chegarem perto do território dos discos com tecnologia winchester, e mais: a coisa é mais rápida do que os discos eletromecânicos convencionais [escrita a 45MB/s e leitura a 65MB/s, mais de seis e quatro vezes mais rápido do que um HD de 80GB "normal"]. segundo a samsung, o mercado de SSDs [solid state drives, ou disks] será meros 200 milhões de dólares em 2007, mas crescerá trinta e quatro vezes até 2010, chegando a 6.8 bilhões em escassos três anos.

crescendo deste jeito e com outros atores no mercado [a super talent tem SSDs de 128GB, de 3.5", e a sandisk e toshiba também estão em campo], é de se prever que o fim dos hard drives está próximo. até porque os SSDs usam entre 1/3 e 1/30 avos da energia dos HDs o que, nestes tempos de aquecimento global, não é pouca coisa. só falta baixar o preço, que está na casa dos mais de US$10/GB, mas isso é questão de escala e logo, logo, se resolve.

quem vale mais [um ano depois]?

Thursday, April 12th, 2007

imagine que você tivesse dinheiro, com D maiúsculo, há um ano. suficiente pra botar um milhão, verde, na bolsa, com o propósito específico de comprar para vender. se houvesse CINCO escolhas [apple {aapl}, google {goog}, microsoft {msft}, yahoo {yhoo} e a "velha" vale do rio doce {rio, o que mais poderia ser?}] você botaria seus nem tão minguados dinheirinhos em qual delas? assim para, com o resultado, comprar DUAS ferrari scaglietti, um lambo gallardo e ainda sobrar um troco?

pense, por favor, antes de clicar na resposta [dinâmica e válida, obviamente, à época deste post...]. o resultado poderá lhe surpreender. se você estivesse comprando para guardar e viver do retorno das ações, o resultado seria outro. mas aí era, também, outra conversa…

a revolução será televisada…

Wednesday, April 11th, 2007

1927-apr-8-troy-record-headline.JPGenquanto continua, por aqui, a saga que um dia nos levará à TV digital aberta, a motorola está comemorando a venda de seu milionésimo set top box para IPTV, esta sim a tv digital caseira e interativa dos lugares onde há infra-estrutura. escrevi sobre nosso projeto de TVD no G1 esta semana e sobre IPTV, também no G1, em fevereiro. recentemente, também fiz uma coluna [ainda no G1] sobre o estado da nossa infra-estrutura, olhando para o ponto de vista legal e regulatório [e o tamanho do problema que temos que resolver].

há quem entenda que deveríamos estar indo direto para IPTV. não podemos, não temos infra para universalizar isso, agora, e o brasil terá que ter TVD pelo ar por muito tempo. não somos as partes ricas da europa. mas, por outro lado, pode ser que as teles acordem e, como o projeto de aplicação de recursos do fust para levar banda larga às escolas foi aprovado a toque de caixa no senado, pode até ser que, tendo que fazer a infra para levar banda larga às escolas [e hospitais, bibliotecas e delegacias...] acabemos temos muito, muito mais banda do que hoje. bom, porque quem não tem banda larga não tem internet.

em suma: o mercado não está -nem vai ficar- parado e esperando que a TVD aberta apareça e resolva todos os problemas, até porque multiprogramação não foi permitida [pelo menos ainda]. é capaz de IPTV chegar em muito mais lugares do que é possível prever hoje, e num prazo muito mais curto do que se imagina. e as conseqüências são inimagináveis. quer ver uma? o título desta coluna vem do slogan da apple, aquela companhia que fazia computadores mas que tirou “computer” do nome, pra sua appple tv, cujos efeitos no mercado serão sentidos neste próximo dezembro, lá fora. justamente quando se espera que TVD aberta vá ao ar no brasil.

o que pequenas empresas podem fazer com blogs?

Tuesday, April 10th, 2007

viviane maia, da revista pequenas empresas e grandes negócios, me ligou para discutir o que blogs podem fazer pelas pequenas empresas. isso [no meu entendimento] num cenário real em que a maioria das empresas, inclusive as grandes, não consegue nem responder um emeio de maneira eficiente [retorno rápido] nem eficaz [resolvendo seu problema]. a conversa foi gravada e você pode pegar o mp3 [4MB, 16min.] no mediafire.

mais uma convergência[?]: o universo matemático

Monday, April 9th, 2007

há algum tempo atrás, este blog publicou um texto chamado toda[?] ciência é da computação, citando seth lloyd e stephen wolfram [entre outros], como base para tal assertiva. pois bem. acaba de sair [5/4/2007] um texto de max tegmark [também conhecido como mad max...], cosmólogo do mit, the mathematical universe, cujo resumo é… I explore physics implications of the External Reality Hypothesis (ERH) that there exists an external physical reality completely independent of us humans. I argue that with a sufficiently broad definition of mathematics, it implies the Mathematical Universe Hypothesis (MUH) that our physical world is an abstract mathematical structure. I discuss various implications of the ERH and MUH, ranging from standard physics topics like symmetries, irreducible representations, units, free parameters and initial conditions to broader issues like consciousness, parallel universes and Gödel incompleteness. I hypothesize that only computable and decidable (in Gödel’s sense) structures exist, which alleviates the cosmological measure problem and help explain why our physical laws appear so simple. I also comment on the intimate relation between mathematical structures, computations, simulations and physical systems.

resumo do resumo: o universo físico é uma estrutura matemática abstrata e, nela, somente existem as estruturas computáveis e decidíveis, no sentido de gödel [veja a história de kurt gödel e seus teoremas e implicações aqui]. isso explica porque as leis que regem o universo são tão simples e porque você e eu [e tudo mais] somos apenas elementos dentro de uma vasta teoria dos conjuntos. ah, bom… tenho certeza de que a vida vai ficar muito mais simples por causa disso.

isuppli avisa: TV móvel vai bombar

Saturday, April 7th, 2007

isuppli, uma consultoria internacional de análise e previsão [em mercados de tecnologia] avisa: Global mobile TV subscribers are set to number 130 million by 2011, up from 3.2 million in 2006. Associated revenues will grow to $17.6 billion by 2011, with a CAGR of 76.7% from $1 billion in 2006. That will make mobile video as large as mobile music in 2011. ou seja: o mercado de TV móvel, rodando sobre a plataforma celular, vai crescer 40 vezes, em usuários, em 5 anos. daqui pra lá, muita coisa vai rolar e é muito difícil prever o futuro, como todos sabemos. mas as evidências de que isso pode mesmo acontecer estão se tornando mais claras a cada mês.

na china, seis operadores já receberam licenças para TV móvel, usando o padrão CMMB [chinês, claro: China Mobile Multimedia Broadcasting] que foi aprovado no último outubro. quando os chineses entrarem no ar, boa parte da previsão da isuppli já estará sendo realizada. na coréia, por outro lado, as transmissões de TV digital móvel vão cobrir todo o país em maio, usando Terrestrial Digital Multimedia Broadcasting [T-DMB], e serão abertas e grátis, como já é o caso em seul e kyonggi. no canadá, os serviços já estão disponíveis e custam entre $15 e $20 por mês, para uma meia dúzia de canais. nos eua, pra citar um só operador, a verizon já tem o serviço V CAST disponível em 20 cidades e a aposta é grande. a coreana LG, junto com a americana harris, acaba de botar mais uma tecnologia no mercado americano [MPH, mobile pedestrian handheld], para competir com a rede mediaflo da qualcomm, e o bicho vai pegar.

ainda falta saber o que teremos no brasil. o certo até agora é que a tv digital fixa irá ao ar no primeiro domingo de dezembro e que as transmissões digitais abertas para os celulares usarão o mesmo padrão ISDB-T que escolhemos para o modo fixo. no japão, no entanto, a qualcomm está propondo o mesmo mediaflo americano [que não é só para TV, pura, mas onde clips de áudio e védeo podem ser negociados], a despeito das transmissões gratuitas em ISDB-T e um estudo da accenture mostra que há mercado para os dois modos, com potenciais 40 milhões de assinantes [e um mercado de $3.8B em 2011]. nada é simples na vida real.

uma coisa, no entanto, é certa: centenas de milhões de pessoas estarão usando tv digital móvel em 2020. a definição de “tv” de então e o modo e modelo de negócios que vencerão a corrida… ah, isso vai depender das tecnologias, sua aceitação e de como, afinal, os desejos do consumidor serão satisfeitos. aliás, como a história mostrou até aqui e como parece que não vai mudar.

fibras @ 111Gbps: o céu é o limite

Friday, April 6th, 2007

coreoptics, siemens e o eit [eindhoven institute of technology] acabam de anunciar que conseguiram enfiar 10 canais de 111 gigabit/s em uma única fibra ótica [Standard Single Mode Fiber, SSMF], espaçando os canais em 50GHz. isso não é nada, poderia ter sido só para cruzar a sala… mas foi numa distância de 2.400Km, o que transforma 100Gbps no objeto de desejo de quem estiver montando redes de longa distância e alta performance no muito curto prazo.

pra se ter uma idéia do que isso significa, há dez anos os recordes [para SSMF] andavam aí por 10Gbps em 700Km. danado é ter só 600kbps [nominal, real é quase sempre bem menor!] em minha “banda larga”, porque, segundo o provedor, a “central” fica longe da minha casa e eles não terão outra, mais perto, nem tão cedo. e ver mesmo esta nesga de internet sumir, vez por outra, sem a menor cerimônia ou aviso. coisas, realmente, do brasil. do atraso do brasil.

time killer: 3D LOGIC

Thursday, April 5th, 2007

2007-04-05_134014.pngé semana santa e você talvez não tenha nada [de mais] para fazer. até porque não vai enfrentar a confusão das estradas ou do tráfego aéreo… hora de procurar o que fazer. minha sugestão é Kongregate, que acabou de entrar no ar [jeff clavier é um dos angels] e onde já estão alguns dos jogos mais interessantes da web. um dos meus favoritos é 3D LOGIC, de alex matveev. pegue um cronômetro e descubra quanto tempo gasta para chegar no nível 15. minimizar este tempo, por si só, vai gastar toda sua páscoa. vá com calma, pois: há vida lá fora, também…